Now Playing Tracks

É pessoal, essa é a “Copa das Copas” tanto em termos de futebol, como em termos de Publicidade. Selecionei algumas marcas que se destacaram nessa Copa, que tal ver meu texto no VersátilRP?

Tem alguma que faltou na lista? Qual? Bora opinar e boa leitura para vocês 

http://versatilrp.com.br/2014/07/09/a-copa-das-copas-das-marcas/

No último almoço de família, minha tia me fez a clássica e batidíssima pergunta: “e aí, está namorando?”. Deixando de lado a total falta de necessidade e o constrangimento gerado pela pergunta, simplesmente respondi que não. Ela insistiu: categoricamente, disse que a maioria dos meus primos estava namorando - uma das minhas primas havia começado o namoro há três semanas e o meu primo mais velho costuma realizar a troca de namorada com frequência maior do que a troca de celular. Educadamente, expliquei que não estou no momento certo para um relacionamento e que ainda terei muito tempo pra isso no futuro. Depois da cena, encostei-me a um canto qualquer e me pus a pensar. Lembrei de um dos meus amigos que namora e sempre pega duas ou três quando saímos. Lembrei de um ex-colega de trabalho que sempre esperava a esposa viajar a trabalho pra dar aquela escapadinha. Pensei na garota do interior que havia acabado de começar um namoro, mas vivia a comentar minhas fotos e a dizer no Whatsapp que estava com ciúme das outras que também o faziam. Pensei na ex-esposa do meu tio, que fora fazer intercâmbio na Austrália e depois de alguns meses simplesmente disse que não voltaria mais. Lembrei do turbilhão de namoros forjados, das declarações plastificadas de amor no feed do Facebook, das provas de amor resumidas a “status de relacionamento”… Argh! Não. Eu não namoro, tia. Nunca namorei e, provavelmente, vou demorar um bom tempo pra começar a namorar. Conviva com isso.
Henrique Dias (via realidade-paralela)
To Tumblr, Love Pixel Union